quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

Lugar certo!

Tenho que parar de usar o meu twitter como um 'lugar para desabafar'. Definitivamente ele não é adequado para isso. Não tem espaço, privacidade nem personalidade pra isso.

Antes, quando eu precisava de um lugar onde pudesse escrever tudo o que estava sentindo, para desafogar minhas angústias, dúvidas, mágoas, raivas e tristezas, eu costumava vir aqui. Clicava no botão "Nova postagem" e começava a despejar tudo que me vinha a mente naquele momento, tudo que estava me sufocando. E sempre, sempre me sentia muito melhor quando acabava, sempre!

Talvez porque aqui sim seja o lugar certo para fazer isso... Talvez as pessoas que ainda leem o que eu escrevo esperam mais do apenas alguns desabafos... Talvez eu não devesse apenas escrever quando me sinta mal... Talvez eu esteja perdendo o meu 'talento'... Talvez eu precise de mais coragem para firmar os pés no chão... Talvez eu devesse continuar sem tocar a superfície... Talvez nem uma coisa nem outra... Talvez tudo tenha um por quê... Talvez não... Talvez...

A verdade é que eu quero sair desse "Talvez..." eterno que se tornou a minha vida. Mesmo sabendo que não se pode ter certeza de muita coisa, queria ao menos ter certeza do que eu quero pra minha vida. E mais... ter certeza do que tenho e posso fazer pra chegar onde quero chegar, se é que quero realmente chegar a algum lugar. As vezes acho que não quero é chegar a lugar nenhum. Mesmo que a todo momento eu pense em mudar tudo o que acontece ao me redor. Mudar a mim mesma. Ou devo continuar como estou? Sei que ninguém tem a resposta certa pra essas minhas dúvidas.

Mas, quer saber? Não importa! Eu nunca vim aqui atrás de respostas. Só quero tirar todas essas ideias turbulentas da minha cabeça. Vê-las materializadas na tela do computador. Expressas através de palavras que talvez não façam o menor sentido para outras pessoas, mas que me confortam imensamente.

,


4 comentários:

Samira Hidalgo disse...

Li o post e claro fui fuçar o seu Twitter para saber o que está acontecendo com a minha pessoinha amada.

Helô, querida, tenho certeza que esse talvez é apenas uma fase. Eu mesma passei por ela ano passado e você a acompanhou de perto. Talvez, os meus "talvez" fossem diferentes do seus, mas mesmo assim te dou um conselho amiga: mantenha um pé no chão e o outro você pode manter nas nuvens. Parece estranho, mas precisamos de estabilidade, mesmo nos mais bonitos dos sonhos.

Estou ao seu lado sempre.
Te amo demais.

Maria disse...

Helô, sei exatamente do q vc ta falando...
Tb passei, e ainda passo por esse periodo do 'talves'... isso pra mim é uma incognita tão grande q parece que um ponto de intorragação enorme vive na minha frente. E é em todas as questões da vida!

E qdo isso acontece, eu corro para o mesmo espaço que vc, e fico horas olhando aquela tela em branco pensando o q eu vou despejar ali.
Mas fico com a Sá qdo ela diz pra manter um pé no chão e o outro na núvem... a estabilidade é necessária!

Beijos
o que precisar, to aqui tb viu!

Selene disse...

Diferente das pessoas que comentaram até agora, eu não sei o que está acontecendo. Mas também, não vou me deslocar até o seu Twitter para tentar descobrir.

Mas posso ti dizer uma coisa, se vc quer um lugar para desafabar, mesmo que não tenha uma resposta, escreva num blog, num flog, ou em qualquer lugar que não prenda sua criatividade e sua liberdade de quanto escrever.

O Twitter não tem esse utilidade, definitivamente quanto mais escrevemos lá, mais nos prendemos a escrita rapida, com pouca explicação e pouca sensibilidade.

Fique, por exemplo, aqui no Blogspot.Por lá, você não ganha uma conciencia tranquila, por lá (assim eu vejo)

Eulalia G. disse...

Ola Heloisa! Nao sei ja como descobri o seu blog. Que acho interessante!
Eu tenho 59 anos, tenho 2 filhos mais velhos que você e 2 netos maravilhosos. Sou divorciada e feliz a viver sozinha na minha casinha branca e humilde.
Todos passamos na nossa vida pela fase das interrogações.Não se atormente. Faz parte do nosso crescimento interior. Fique com a certeza que muitas das suas questões jamais terão resposta. Outras, a vida se encarregará de lhe responder aos pouquinhos. Não sou ninguém para dar conselhos nem pretendo tal. Mas ,fique com outra certeza.Só começará a abandonar essa angustia existencial quando aprender a desfrutar a vida nos seus encantos mais pequeninos. e a ser feliz com os pequenos nadas. Vai ver que o resto vem por acréscimo.E vão abrir-se diante de si,imensas janelas ,que escancaradas, para o mundo ,lhe vao abrir os olhos par o essencial e a não ligar ao acessório. espero nao ter maçado!Seja FELIZ!!