terça-feira, 9 de setembro de 2008

Jornalismo “Open Source” e etc...


No começo do semestre passado houve uma coletiva com o professor da Universidade de Mogi das Cruzes, Willian Araujo, cujo objetivo era resgatar os conceitos e técnicas aplicados em aulas anteriores referentes a eixos de planejamento, pesquisa e edição jornalísticas. Foram abordados assuntos diversos como o Jornalismo “Open Source”, técnicas de produção de pauta, improvisação, organização, pesquisa entre outros.
O professor Willian iniciou comentando um pouco sobre os três parâmetros que abrangem toda prática jornalística e que são essenciais para qualquer tipo de jornalismo, são eles; a Empresa Jornalística, que tem a missão de difundir as informações e trabalha com o aspecto econômico do jornal; o Jornalismo, que são técnicas adotadas por uma atividade e sua missão é informar; o Jornalista, que é o profissional que desenvolve as habilidades técnicas e coloca as informações organizadas a disposição das pessoas. Dessa forma a percepção de que a pauta irá gerar repercussão se desenvolve fazendo jornalismo, praticando.
A produção jornalística exige muito cuidado com o tempo de execução das tarefas e os prazos a serem cumpridos. “No começo, por falta de experiência, não temos noção do tempo que cada coisa leva para ser feita. Mas lidar com as dificuldades é sempre o melhor aprendizado, acabamos incorporando essa sabedoria e lidando naturalmente com o tempo que temos para realizar as pautas” afirma Willian. Existem também algumas questões monetárias e comerciais que muitas vezes acabam se sobrepondo aos ideais dos jovens jornalistas, mas segundo o professor Willian o que importa realmente é o aprendizado, e que o árduo trabalho prático acaba por nos ensinar muito mais que as teorias acadêmicas.
Outro assunto explorado durante a coletiva foi o Jornalismo “Open Source” que segundo o subeditor do site “Webinsider” Paulo Rebêlo, em texto publicado dia 8 de setembro de 2005, nada mais é do que um “novo” tipo de jornalismo onde todo cidadão também é um repórter, e que não anula a participação e mediação de jornalistas profissionais. O professor Willian afirmou que esse fenômeno se dá pois na Internet já existe essa idéia de que todos podem se expressar e opinar livremente. Mas mesmo havendo pessoas que se disponham a contribuir com noticias, nunca se tem a certeza de que ela é boa, por isso são necessários os filtros para que esse jornalismo colaborativo seja eficaz e de boa qualidade. “Assim mesmo um Jornal que adote esse meio pode ter credibilidade, e ainda pode desenvolver profissionais especializados em filtrar essas matérias” afirma Willian. Ainda no mesmo texto Paulo Rebêlo afirma que “no Brasil, o conceito de jornalismo comunitário é quase uma ilusão, perdida entre confusões de diplomas e sindicatos”.
Segundo o professor Willian “por conseqüência deste grande crescimento do Jornalismo colaborativo os Jornais diários irão perder uma clientela significativa, virando apenas um manual”. Hoje as mídias impressas convivem bem, mas no mundo digital isso não existe, pois prevalece a linguagem que é mais aceita pelo público, mais atrativa, além de haver uma concorrência muito maior e mais disputada.
Hoje em dia não há como não usar a internet como recurso no jornalismo, todos estamos em contato com ela. É ainda uma boa fonte de informação apesar do grande volume de material descartável que existe hoje. Quanto a entrevistas pela internet Willian afirma que há riscos assim como pelo telefone, pois em ambas as situações você não vê se é realmente a pessoa que está respondendo. O ideal é que seja feita cara-a-cara, mas quando isso não é possível a internet se torna uma ótima ferramenta para o jornalista.
O professor Willian concluiu dizendo que na área do jornalismo os professores estão ai para organizar, e orientar o pensamento e os métodos aos alunos, mas que os recursos, principalmente na internet, devem ser usados e experimentados. “Os recursos digitais preservam a qualidade, têm vida longa e ocupam pouco espaço, basta usá-los da melhor forma para que eles estejam sempre ao nosso favor” afirma.

ps: Texto citado disponível em: http://webinsider.uol.com.br/index.php/2005/09/08/um-velho-novo-jornalismo/

3 comentários:

Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Pedro Ayres disse...

Caríssima Heloísa

Veja os seguintes endereços e terá as informações que busca, sendo que no Notícia Uno v. terá que peneirar a informação. Sugiro uma leitura nos jornais on line da Colômbia, embora seja facciosamente defensores do Uribe ainda é possível se extarir alguma informação deles.Os endereços:
http://anncol.eu/index.php
http://www.noticiasuno.com/
Heloísa, como um velho profissional, ouso lhe dizer que só a constante leitura e a diária atualização técnica possibilitam algum avanço profissional, sem esquecermos do talento.
Heloísa, sempre que tentarem lhe ensinar algo muito inovador, faça-se sempre àquela pergunta dos famosos detetive: a quem interessa o crime?

.Cah. disse...

Excelente!!
do incio ao fim...
adorei...mtu
e vou até passar pra galera da minha sala...
hauhhauaa

;*