domingo, 28 de setembro de 2008

Muito Tolerante

Não existe condição que não possa se aceitar
não há 'diferente' ou 'incomum' que surpreenda, ao ponto de causar repulsa ou indignação
Tudo é plausível ou discutível
tudo tem a possibilidade de se justificar e de ter uma razão de ser
E se não tiver, e se não for compreensivel, ainda sim pode ser que seja aceitável e eu é que não tive a capacidade para entender

Desde que me conheço por gente sou assim e as coisas me parecem assim. Eu não tenho medo do desconhecido, quero descobri-lo, quero entendê-lo. A vida é sim uma caixinha de surpresas, a gente nunca sabe com o que vai se deparar e muito menos qual será a nossa reação. Há ai fora uma infinidade de formas, rostos, cores e jeitos. Há vida, há morte. Todos temos luz e trevas dentro de nós, todos somos imperfeitos

A melhor qualidade para uma pessoa pode ser o pior defeito para outra, e elas nem mesmo precisam estar tão distantes assim, nem fisicamente nem culturalmente. Ninguém tem a mesma forma de ver o mundo, existem infinitas, e graças a Deus. E sempre há espaço para cada uma delas, ou pelo menos deveria haver

Se alguém não toma banho todos os dias e diz que é para economizar agua, ótimo. Ela não vai ser uma pessoa melhor ou pior por causa disso. E se ela não toma banho todos os dias por simples preguissa, ótimo também. Desde que não faça mal a ninguém com isso, ela tem todo o direito. É um exemplo bobo, mas é exatamente isso que me intriga. Uma coisa boba, uma besteira, não é dificil de se aceitar, mas ainda há quem discrimine por que isso não está de acordo com o que aprendemos que é correto

Tenho manias estranhas, tenho habitos tontos, todo mundo tem afinal. Já dizia o velho ditado 'de perto ninguém é normal'.

Eu adoro discutir assuntos, contrapor idéias. Ainda bem que para isso existe um bocado de gente que discorda de mim, se não eu não poderia argumentar, persuadir. Porque será que desde pequena sou assim? Afinal eu não fui criada muito diferente das pessoas da minha idade, fui criada até bem igual. Mas eu me lembro de tomar as dores de coleguinhas injustiçados. Eu me lembro de conversar com aquela menininha que usava óculos de fundo de garrafa, com aquele nerd que sentava na primeira carteira. E não o fazia por dó, muito menos pra ajudar. Eu não via nada de mais nas diferenças, e ainda não vejo. Quando a gente cresce parece que tudo muda, que todo mundo passa a ser mais educado e mais gentil com todo mundo. Mas na verdade continua tudo como antes, a maioria das pessoas evita estar com alguém que tenha uma má reputação ou uma aparência esquisita. Evitam se envolver com tipos 'bizarros'. Sem nem saber porque afinal são considerados 'bizarros'. Essa tolarância disfarçada chega a ser pior do que própria a intolerância

Já disse que tudo que somos é fruto de tudo que vivemos. E aceito que existem coisas que nós aprendemos, coisas que nos são ditas desde que nascemos e que a gente toma como verdade. Pois desde antes de nascermos já era assim, então a gente chega num mundo que já está moldado e pensa 'eu também tenho que ser assim, tenho que me adaptar'. E tendo esse pensamento acreditamos que todos os outros também deveriam ter. É uma coisa que acontece meio que automaticamente. Deixam os 'bizarros' num lugar bem afastado. Olham pra eles, acham até graça as vezes mas é só, nem pensam em chegar perto, muito menos confraternizar

Acredito que se algo me incomoda muito é porque me interessa muito. Não conheço, não tenho nem sequer como ter uma opinião sobre. As vezes também não existe a possibilidade de que eu o conheça, talvez por ser distante, talvez por ser perigoso. Então eu fico sem conhecer, mas ainda sim me interesso, ainda sim fico curiosa. Criando minhocas na minha cabeça, tentando imaginar porque e como pode existir algo assim tão diferente. Mas me impressiono e me encanto depois, acabo entendendo que não dá pra entender

Penso, logo existo. Quem era mesmo que dizia isso?? Só sei que o cara era bem inteligente. Se estamos vivos é porque ainda estamos pensando. Quando deixamos de pensar é porque já não existimos mais. Então exista, seja ser humano, e pense. Absorva tudo o que puder, coisas boas e coisas más. Leve na sua bagagem o máximo que conseguir. Se não pode mudá-los, junte-se a eles, ou melhor, não tente mudá-los e nem junte-se a eles, só converse com eles...

7 comentários:

Samira Hidalgo disse...

Até posso conversar, mas sem banho num vira não! hahahahahahahahaha

Só digo uma coisa: o ser humano ainda tem muito o que aprender, principalmente sobre 'convivência'.

Beeeeeijos!

Heloisa Ikeda... disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Letícia disse...

não eu não li, mais como vc é muit inteligente o testo deve tá bom, heehuehue.

Juh* disse...

A Helô era pop então?
Conversava com todo mundo?????

É, parece ser tão mais simples deixar de lado aquilo que nos parece estranho e ficar sempre com aquilo que já estamos acostumados...

Deixamos de viver muitas coisas interessantes por causa disso....

Mas sem tomar banho num dpa neh Helo?? hahaha

Bjx

.::Nelson Campo::. disse...

"A melhor qualidade para uma pessoa pode ser o pior defeito para outra".

Meu,

Palmas pra você!

bjooo

Camila Araujo disse...

quaaanta complexidade meu Deus do céu.
Sou bem diferente de vc... reconheço que queria ser igual, mas comigo não rola compreensao fácil rs.

Beeijo