terça-feira, 7 de outubro de 2008

Céu e Som

As nuvens pela janela passam devagar
vão sem pressa pra nenhum lugar
As vozes lá em baixo soam baixinho
contam histórias pelo caminho

Não se importam pela espera constante
têm bem nítido o Sol radiante
Não se queixam por serem ignoradas
apenas ecoam e ficam impregnadas

Se deixam levar pelo sopro do vento
inspiram a intecidade de cada momento
Se modificam ao subir pelas paredes
deitam e se espalham nos tapetes

Ver sem nunca poder tocar
pois ali é o seu lugar
Ouvir sem nunca poder ver
porque não irá se conter

O céu as aceita ou as rejeita
sem se importar em fazer disfeita
A boca a gospe ou a engole
não tem dó de coração mole

Invadindo a vista da minha janela
e a brisa doce com cheiro de canela
Invadindo os ruídos dos meus ouvidos
com o ritmo lento de bons avisos

2 comentários:

.::Nelson Campo::. disse...

uma dose de t quero com um pouco de ja cansei, e acrescenta um "quero q isso mude" e você tem um lindo texto q nem esse ^^

Muuuuuiito bom messmo

Bjo Helô

Juh* disse...

Meww...

Helô viro poeta então??!!!

hahaha

Bjx