terça-feira, 8 de julho de 2008

Feridas da Alma

Na escuridão onde estava
Não se podia ver nada
Toda minha ilusão foi embora
Vi o que realmente era
Vi toda a realidade
Que as fantasias infantis
Não me deixavam ver
Me perdi por muito tempo
Me agarrei a minha saudade
Já não tinha onde ficar
Onde me refugiar
Tudo era tão incerto
Tudo era tão obscuro
Que não pude dar
Nenhum passo a frente
E nenhum passo atrás
Nada era seguro
Tentei por algumas vezes
Me desvencilhar do medo
Me distrair com pensamentos
Mas nada me bastava
Nada me punha de pé
Olhava ao fim do túnel
E não via nenhuma luz
Estendia a mão ao ar
E não encontrava nada
Em que eu pudesse me agarrar
Por esses dias eu conheci
O que chamam de solidão
Parece dramático demais
Mas só quem já viveu sabe
Que sentir-se só é às vezes
Pior que estar realmente só
E ainda que nada seja certo
Ainda que seja apenas paranóia
Tudo que conseguimos fazer
E nós fechar mais e mais
Dentro de nos mesmos
Não falo isso da boca pra fora
Não sou leiga no assunto
Sei que disso sim se pode sofrer
E disso sim podem surgir doenças
E não são doenças psicológicas
Elas podem ser vistas
Eu mesmo tenho uma
Ela me marca até hoje
Como se tudo aquilo que
Um dia eu guardei pra mim
Quisesse sair pra fora
E pior, a força
Chego a me perguntar
Porque meu próprio corpo
Luta contra as feridas da minha alma
Quer de todo jeito
Que elas cicatrizem
Que sejam curadas
Mas já faz tanto tempo
Que isso já não é possível
Já não posso compensar
Todo o tempo perdido
Mas de qualquer forma
De alguma coisa me valeu
Saber e entender essas coisas
Pois hoje consigo enxergar
Ainda que não esteja livre
Ainda que continue igual
Que palavras podem ferir
Mais do que tapas e socos
Que a maldade de uma pessoa
Pode acabar com a vida de outra
Eu já não busco uma solução pra mim
Já não quero mudar mais
O que mais desejo agora
É que possam entender
Que não foi escolha minha
Mas que eu tive que sofrer as conseqüências.

_____________________________________

Este texto pode não fazer sentido pra ninguém
E não era mesmo pra fazer
Mas precisava escrever isso.

2 comentários:

.Cah. disse...

Escrever ao vento é o melhor,sempre!

;**

Heloisa Ikeda... disse...
Este comentário foi removido pelo autor.